Jair Bolsonaro cresce aprovação e se fortalece ainda mais no Nordeste

O presidente da República Jair Messias Bolsonaro tem sido antifragil quando diz respeito ao enfrentamento das crises. É o que aponta a mais nova pesquisa feita pela VEJA e Instituto Paraná Pesquisas entre os dias 18 e 21 de julho demonstrando o salto de aprovação na região nordeste chegando ao patamar de 39,4%, um aumento de 9,1 pontos percentuais em relação ao levantamento anterior, feito há três meses entre os dias 27 e 29 de abril.

Em termos eleitorais, o levantamento mostra que Jair Bolsonaro ganhou envergadura e conquistou votos nordestinos em todos os cenários testados de primeiro turno. A margem de erro da pesquisa em relação ao Nordeste é de 4,5 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

O enfrentamento firme contra a crise econômica gerada pelo fechamento do comércio e a quebra das cadeias de geração de riqueza do país por conta dos decretos estaduais e municipais, e o combate ao vírus chinês COVID-19 de forma séria e transparente provocaram o crescimento e a aprovação do Presidente no cenário. O Brasil gastou cerca de 10% do PIB para preservação de vidas e empregos, em meio aos pagamentos do auxílio emergencial de 600 a 1200 reais para conter os efeitos econômicos da pandemia de coronavírus, a compra de insumos e medicamentos no enfrentamento da doença, destinação de recursos federais à estados e municipios.

Entre os que responderam que reprovavam o governo conservador de Jair Bolsonaro, a proporção caiu de 66,1% para 56,8%, constatando um recuo de 9,3 pontos. Assim, as variações na região foram superiores às da média em âmbito nacional, em que a aprovação subiu de 44% para 47,1% e a desaprovação caiu, de 51,7% a 48,1%.

A busca por expandir o Bolsa Família e rebatizá-lo como Renda Brasil, além de viagens à regiões de todo o Brasil, incluindo inauguração de obras da transposição no Ceará, o presidente Jair Bolsonaro começa a reduzir a resistência dos nordestinos e o reflexo já se vê nas pesquisas.

Painel Brasil