Haddad é multado por impulsionar “fake news” contra Bolsonaro na internet

O ministro do Supremo Edson Fachin, que também atua no Tribunal Superior Eleitoral, determinou que o ex-candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, e a coligação dele paguem multa de R$ 176 mil por impulsionamento irregular de conteúdo falso durante a disputa eleitoral do ano passado.

O ministro concluiu que a campanha petista pagou ao Google para destacar conteúdo negativo e falso contra o então candidato Jair Bolsonaro.

Fachin negou punições à empresa porque ela suspendeu o contrato quando foi notificada pelo TSE. O ministro ressaltou que a lei não proíbe críticas aos candidatos, mas a contratação do impulsionamento de Fake News é crime.

O G1 entrou em contato com a assessoria de Fernando Haddad, que declarou “incredulidade e surpresa pela decisão”; e que ser multado por impulsionamento de fakenews parece irreal.