Coroinha de 13 anos contrai sífilis e acusa líder religioso de abuso sexual

Um menino de 13 anos, coroinha em uma paróquia da cidade de Caravelas, no extremo sul da Bahia, foi diagnosticado com sífilis, doença sexualmente transmissível. A vítima disse a polícia que foi abusado sexualmente pelo líder dos coroinhas da igreja.

De acordo com a Polícia Civil, o crime teria acontecido dentro da Paróquia de Santo Antônio. O suspeito é um acólito da igreja. Exames constataram que ele tem sífilis, mas ele nega ter abusado sexualmente da vítima.

O adolescente fazia parte do grupo de coroinhas da Igreja desde abril de 2017.  Ele relatou à polícia que teria sofrido ao menos cinco abusos praticados pelo acólito.

O menino disse a polícia que os abusos aconteciam sob ameaça de morte. Depois que começou a apresentar os sintomas da doença, o jovem teria contado a situação para a mãe, que procurou o Conselho Tutelar.

A polícia informou que outro caso de abuso sexual envolvendo o mesmo líder dos coroinhas está sendo investigado.