Bombas reveladas por grupo cracker neste domingo expõem Glenn Greenwald

Um grupo cracker com codinome “pavão misterioso” divulgou na tarde deste domingo (16) uma série de denúncias graves envolvendo o jornalista Glenn Greenwald, editor do jornal The Intercept.

O americano é companheiro do Deputado Federal, David Miranda (Psol), suplente do também psolista Jean Wyllys. Ele só assumiu a cadeira de Wyllys depois que o deputado decidiu deixar o Brasil alegando ameaças de morte.

Na última semana, o site The Intercept publicou conversas supostamente vazadas e falsas entre procuradores da Operação Lava Jato e o ex-juiz Sérgio Moro, hoje Ministro da Justiça no governo Bolsonaro.

Greenwald foi acusado de partidarismo na tentativa de anular a Lava Jato e derrubar o ministro Moro, já que é defensor da soltura de Lula. O grupo anônimo contratacou e criou um perfil no Twitter denominado “Pavão Misterioso” exclusivamente para divulgar as denúncias.

QUEM SÃO OS ENVOLVIDOS

Glenn Greenwald – responsável pelo site de extrema-esquerda “The Intercept Brasil”. Em participação no programa Pânico da rádio Jovem Pan, ele fez um tremendo malabarismo para afirmar que as mensagens divulgadas pelo seu site deixavam claro que a Operação Lava Jato seria um grandioso esquema de corrupção e que por isso todos os condenados deveriam ser soltos.
David Miranda – deputado do PSOL que assumiu o mandato de Jean Wyllys. David é “casado” com Glenn Greenwald.
Jean Wyllys – ex-deputado do PSOL, que hoje vive fora do país. No conteúdo divulgado pelo perfil “Pavão Misterioso”, Wyllys é acusado de ter recebido 700 mil dólares para renunciar seu cargo, em troca de mais US$ 10 mil como mesada.
Pierre Omidyar – Francês descendente de, quem diria, Iranianos. Ele trava uma luta acirrada contra o conservadorismo; é uma das estrelas do Panamá Papers, dono do Ebay, site que nunca deu prejuízo desde a criação, e financista da queda de Viktor Yanukovych na Ucrânia.
Evgeniy Mikhailovich Bogachev – hacker vaidoso que ao usar um quase homônimo tornou tudo claro como as águas, pois no destino final dos valores Pollingsoon virou poolson, como veremos a seguir.

PANAMÁ: PAÍS-CHAVE NO QUEBRA CABEÇA

O Panamá tem uma importância fundamental no vasto conteúdo apresentado abaixo, pois foi onde, segundo as mensagens do “Pavão Misterioso”, que os Bitcoins viraram Ethereums, transação apontada como responsável por quase estragar a investigação. Omidyar seria o financista por trás de trama, usando todos os envolvidos em sua cruzada contra o próprio sistema que o tornou bilionário.
Confira abaixo as mensagens divulgadas pelo “Pavão Misterioso”:

A Policia Federal já está em posse de mais informações ligadas a denúncia, e estão analisando a autenticidades das informações. Fiquemos atentos aos próximos capítulos!