Bolsonaro veta espionagem de celulares da população

No fim de março, as operadoras de telecomunicações ofereceram ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) um mapa de calor para mostrar a geolocalização da população. Segundo se alega, o intuito era identificar aglomerações e situações de risco de contaminação do novo coronavírus. No entanto, o presidente Jair Bolsonaro, que na ocasião havia determinado prudência no compartilhamento dos dados, agora vetou o uso das informações. 


A geolocalização supostamente seria utilizada no combate à Covid-19, pois possibilitaria identificar como se desloca a população, se há multidões e situações de risco de contaminação pelo vírus. Em contrapartida, esses dados poderiam ferir direito de intimidade, e facilitar a espionagem, serviços de monitoramento de pessoas de forma ilicita. O ministro Marcos Pontes chegou a gravar um vídeo anunciando a implantação do sistema nesta semana. No sábado, Bolsonaro ligou para Pontes mandando suspender tudo.


Bolsonaro afirmou que há riscos para a privacidade do cidadão e que a presidência precisa estudar melhor o tema.