Bolsonaro e Alckmin estão empatados em SP, aponta pesquisa

Pesquisa Ibope/Band feita apenas com eleitores do Estado de São Paulo mostra que, nos cenários sem o petista Luiz Inácio Lula da Silva e com o presidente Michel Temer, a disputa pela Presidência da República ficaria acirrada entre os pré-candidatos Jair Bolsonaro (PSL), Geraldo Alckmin (PSDB) e, mais abaixo, Marina Silva (Rede) e Joaquim Barbosa (PSB).

O Estado de São Paulo é o maior colégio eleitoral do País, com 33 milhões de eleitores, segundo os dados mais recentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Isso equivale a 22,6% do total de eleitores registrados no Brasil.

No primeiro cenário sem Lula, que deve ficar impedido de concorrer por causa da condenação e prisão na Lava Jato, e no qual o presidente Michel Temer aparece como pré-candidato do MDB, o deputado Jair Bolsonaro e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin dividem a liderança entre os paulistas, com 16% e 15% das intenções de voto, respectivamente. Marina aparece a seguir, com 11%.

Como a margem de erro é de três pontos porcentuais, a ex-ministra do Meio Ambiente pode ter até 14%, no máximo, e Alckmin, 12%, no mínimo. É preciso considerar, portanto, um triplo empate técnico na liderança, embora seja estatisticamente muito improvável que Marina esteja de fato na frente.

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que ainda não confirmou se será mesmo candidato à sucessão de Temer pelo PSB, aparece com 9% das preferências, empatado tecnicamente com Marina e com Alckmin.

Como possível candidato do PT no lugar de Lula, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad aparece apenas no terceiro escalão da pesquisa, com 3%, junto ao ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes, do PDT, que registra 4%, e Temer, com 2%.

Metodologia

O Ibope entrevistou, ao todo, 1.008 eleitores do Estado de São Paulo entre os dias 20 e 23 de abril. A margem de erro máxima do levantamento divulgado nesta terça-feira, 24, é de três pontos porcentuais, para mais ou para menos. O contratante foi a TV Bandeirantes.

O levantamento também consultou os eleitores paulistas sobre a disputa para o governo do Estado.