Alexandre de Moraes: “Imposto sindical obrigatório é uma tradição com a qual se precisa romper”

Alexandre de Moraes, rebatendo as queixas dos sindicatos de que precisam da obrigatoriedade do imposto para sobreviver.

“O fato de transformar isso em facultativo em nada afeta a liberdade sindical. Se o sindicato não tem associados em número suficiente, isso demonstra uma grave falha de representatividade e legitimidade.”

E mais:

“Esse argumento de terror de que se acabariam os sindicatos não me parece correto.”

O ministro ataca ainda o que chama de “paternalismo vicioso”. Ele acrescentou:

“16 mil sindicatos é algo totalmente sem parâmetro. E só 2 de cada 10 trabalhadores se sindicaliza. Há algo errado. Há um vácuo de representatividade.”