Guaidó consegue apoio de militares para dar fim à Ditadura venezuelana

O proclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, convocou na manhã desta terça-feira (31) a população às ruas e declarou ter apoio de militares para pôr fim ao que ele chama de “usurpação’ na Venezuela. Ele afirmou em post em rede social que se encontra com as principais unidades militares das Forças Armadas e que deu início à fase final da chamada “Operação Liberdade”.

“Povo da Venezuela, vamos à rua. Força Armada Nacional a continuar a implantação até que consolidemos o fim da usurpação que já é irreversível”, declarou em outro post.

Guaidó com líder da oposição solto após prisão domiciliar

Em um vídeo postado em rede social, Guaidó aparece ao lado de Leopoldo Lopez, um outro opositor ao regime de Maduro que cumpria prisão domiciliar, foi liberado nesta manhã e seguiu para as ruas.

Nas mensagens de Guaidó, o autoproclamado presidente afirma que as Forças Armadas “tomaram a decisão correta”, e repetiu o pedido para que o povo saía às ruas para “dar respaldo às forças democráticas e recuperar a nossa liberdade”.

Juan Guaidó disse, há pouco, na Venezuela:

“Hoje, os soldados valentes, os patriotas, os valentes homens apegados à nossa constituição atenderam ao nosso chamado. O primeiro de maio começa hoje. Hoje acaba a usurpação.”

O PR Jair Bolsonaro também se solidarizou com a luta pela liberdade do povo Venezuelano.

Iván Duque, presidente da Colômbia, e Sebastian Piñera, presidente do Chile, já apoiaram o movimento de Juan Guaidó para derrubar Nicolás Maduro e restaurar a democracia na Venezuela.

Confrontos são registrados