Elinaldo vence Ivoneide com 16 mil votos de frente e faz a maior bancada na Câmara

O prefeito de Camaçari, Elinaldo (DEM), foi reeleito neste domingo (15) para os próximos quatro anos. Ele venceu as eleições municipais com 68.927, que compreende 53,12% dos votos dados a todos os candidatos. O candidato derrotou Ivoneide Caetano, com 16 mil votos de frente, que ficou em segundo lugar com 40,52% (52.569 votos).

A eleição em Camaçari teve 18,39% de abstenção, 3,30% votos brancos e 7,94% votos nulos.

A coligação Pra Camaçari Seguir Avançando formada pelos partidos REPUBLICANOS, PSL, PSC, CIDADANIA, DEM e PSDB fez a maior bancada da história.

Veja o resultado com 100% das urnas apuradas:

Elinaldo – DEM – 53,12%
Ivoneide Caetano – PT – 40,52%
Oziel – PDT – 4,08%
Educador Sócrates Magno – PSOL – 0,78%
Acs – PL – 0,40%
Heckel Pedreira – REDE – 0,31%
Francisco Irmão – SOLIDARIEDADE – 0,33%
Andre Pegova – PMN – 0,19%
Pedrinho de Pedrão – AVANTE – 0,16%
Josue Marinho – PV – 0,09%
Rinaldo Chaveiro – DC – 0,03%

Veja quais são todos os vereadores eleitos:

Flavio Matos (DEM) – 3.345 votos – 2,46%
Val Estilos (Republicanos) – 3.005 votos – 2,21%
Jorge Curvelo (DEM) – 2.940 votos – 2,16%
Bispo Jair (Republicanos) – 2.528 votos – 1,86%
Dr Elias Natan (PSDB) – 2.418 votos – 1,78%
Niltinho (PSDB) – 2.372 votos – 1,74%
Dudu do Povo (Cidadania) – 2.186 votos – 1,61%
Junior Borges (DEM) – 1.967 votos – 1,45%
Ivandel Pires (Cidadania) – 1.853 votos – 1,36%
Jamelão (Cidadania) – 1.783 votos – 1,31%
Dr Samuka (Cidadania) – 1.745 votos – 1,28%
Deni de Isqueiro (DEM) – 1.657 votos – 1,22%
Dentinho do Sindicato (PT) – 1.646 votos – 1,21%
Dilson Magalhaes Jr (PSDB) – 1.415 votos – 1,04%
Herbinho (PSL) – 1.406 votos – 1,03%
Tagner (PT) – 1.369 votos – 1,01%
Fafá de Senhorinho (DEM) – 1.191 votos – 0,88%
Vavau (PSB) – 1.035 votos – 0,76%
Jamessom (PSL) – 1.027 votos – 0,75%
Professora Angélica (PP) – 937 votos – 0,69%
Manoel Filho (PDT) – 733 votos – 0,54%

PP e PSB podem perder vaga de vereador

Na chapa das duas agremiações tiveram candidatas com apenas 2 ou 1 voto, o que pode configurar “candidaturas laranjas”,  colocadas na disputa apenas para cumprir a exigência da lei que obriga ter 30% de mulheres, mas que não receberam nenhum incentivo para suas respectivas campanhas. Foram lançadas candidatas apenas para aumentar o número de candidatos homens, o tamanho da chapa, e consequentemente beneficiar os mais votados do partido. 

Informações dão conta que o Democratas vai reivindicar as vagas na justiça, no entanto, caso a justiça casse as duas chapas, haverá recontagem de votos e essas duas vagas podem ir para o Democratas, PT ou Cidadania. Estão em jogo a cadeira da Professora Angélica (PP) e  do Vavau (PSB). 

A regra é clara, no mínimo 30% das vagas nos partidos obrigatoriamente precisam ser de mulheres, e a justiça eleitoral já havia alertado, que não aceitaria “candidatas laranjas”.